Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bad Religion entoa o bom e velho punk rock no Lolla

Veteranos embalaram plateia com hits na tarde do primeiro dia do festival

Como esperado, o Bad Religion trouxe o bom e velho punk rock para o Lollapalooza na tarde deste sábado. A banda formada nos anos 1980 foge um pouco do perfil jovem e indie do festival, mas a experiência falou mais alto, e eles animaram o público com muita competência. Às 16h08, dois minutos antes do programado, os americanos subiram ao palco ao som de Fuck You e 21st Century, dois de seus maiores sucessos.

Logo depois, os veteranos, humildes, se apresentaram à plateia, que ainda começava a se reunir em frente ao principal palco do festival. “Podem vir, vocês não estão atrasados. Sejam muito bem-vindos, nós somos o Bad Religion”, disse o vocalista antes de entoar a palavra obrigatória de todo artista internacional que se apresenta no Brasil: “Obrigado”. Aos 50 anos, os membros da banda sabem que são tiozões do rock. O vocalista Greg Graffin, que tem 51 anos, subiu ao palco com uma camisa polo preta, e não tentou esconder sua careca e seus – poucos – cabelos brancos, que se refletiam também no público.

Leia também:

Com um ‘dedo a menos’, Jessu Hugues comanda o Eagles of Death Metal no Lolla

Lolla gourmet: preços de comidas e bebidas estão nas alturas

Com 16 álbuns no currículo, a banda possui muitos sucessos. Por esse motivo, a apresentação foi recheada com hits, entre os destaques estão Come Join Us, New Dark Ages, New America, Do What You Want. Ao cantar a faixa Los Angeles Is Burning, Graffin resolveu fazer graça e colocou São Paulo em algumas partes da letra. Os fãs da banda estavam bem concentrados em frente ao palco, e pulavam animados. Antes de entoar a canção You, o vocalista inclusive pediu que eles tomassem cuidado para não se machucarem, pois logo com os primeiros acordes começou um “bate-cabeça”, mas que não durou muito. Outros membros da plateia também se arriscaram em fazer um mosh durante o show.

O grande momento da apresentação foi quando os americanos entoaram a ótima Infected, levando o público ao delírio, apesar da voz de Greg Graffin ter sido sobreposta muitas vezes pelo som dos instrumentos do grupo. Para encerrar o show, a banda engatou uma sequência com três dos seus maiores sucessos: Sorrow, Generator, e American Jesus. Depois de uma hora em cima do palco, os veteranos deixaram o festival com uma lição de rock n’roll aos presentes.

Member of The Internet Defense League