Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“É importante a violência contra a mulher cair no Enem”, diz Maria da Penha

A cearense foi a inspiração para a criação da lei que estabelece penas mais duras para casos de violência doméstica, parte do material de apoio na redação do Enem, prova realizada no domingo (25). Dados do MEC indicam que o exame teve a menor taxa de abstenção dos últimos sete anos

Nove anos após a aprovação da Lei 11.340, conhecida como Maria da Penha, a violência contra a mulher foi tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizada por 7,7 milhões de candidatos no último domingo (25). A cearense Maria da Penha Maia Fernandes, de 70 anos, cuja história inspirou a legislação, considera a prova uma oportunidade para medir a percepção dos estudantes sobre o assunto.

Veja mais:

Enem 2015: prova mais difícil que a de anos anteriores

Tema da redação do Enem é a violência contra a mulher

Ela sofreu duas tentativas de homicídio, praticadas pelo ex-marido – ferida por um disparo, ficou em cadeira de rodas. Sua batalha originou a Lei Maria da Penha, que estabelece penas mais duras para a violência em casos de violência doméstica. A legislação foi parte do material de apoio na redação do Enem, que teve como tema “a persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”.

“As pessoas precisam cada vez mais se conscientizar sobre a importância da lei na vida das mulheres”, disse Maria da Penha, de 70 anos. “Nós sabemos que a violência está muito presente na vida do jovem. Quer eles vivam com o pai agressor, quer vivam agredindo suas namoradas, porque aprenderam em casa.”

Questionada sobre o que seria necessário para a violência de gênero diminuir no Brasil, Maria da Penha apontou a falta de uma grande política pública sobre o tema. “Fazer com que a Lei Maria da Penha seja devidamente implementada é o caminho para diminuir essas injustiças.”

Enem 2015 – De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o percentual de abstenções desta edição do exame foi de 25,5%, o menor dos últimos sete anos. Nos dois dias de prova foram eliminados 743 participantes, menos da metade dos 1.519 excluídos em 2014. Este ano, três estudantes foram expulsos por postarem imagens do local de provas nas redes sociais.

Na média por Estados, a Paraíba teve a menor porcentagem de abstenções, com 20,7%, e Roraima apresentou a maior, com 34,9%.

O MEC também informou que os estudantes prejudicados pelas chuvas nos municípios de Rio do Sul e Taió, ambos em Santa Catarina, e que tiveram suas provas adiadas semana passada, terão a oportunidade de fazer o Enem 2015 em 1 e 2 de dezembro. Os 661 alunos da escola Nossa Senhora do Rosário, em Marituba, no Pará, que tiveram as provas do segundo dia canceladas por problemas na rede elétrica, farão os exames do segundo dia em 2 de dezembro.

(Com Estadão Conteúdo)

Member of The Internet Defense League