Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasileiros têm pouco conhecimento de inglês, revela ranking

Brasil está na 41ª. colocação em uma lista de 70 países elaborada pelo grupo de educação internacional EF Education First. Com nota 50,01 os brasileiros estão na categoria de "baixa proficiência"

Os brasileiros ainda têm poucos conhecimentos da língua inglesa. De acordo com o Índice de Proficiência em Inglês (EPI), feito pelo grupo de educação internacional EF Education First, o Brasil está na 41ª colocação em um ranking de 70 países. O levantamento, divulgado nesta quarta-feira (4), revela que a pontuação do Brasil foi de 51,05, o que nos enquadra nos padrões de “baixa proficiência”.

Leia também:

Adultos brasileiros não sabem matemática básica, diz estudo

Vestibular de Medicina do Einstein é um dos mais concorridos do país

A nota mede o domínio de gramática, vocabulário, leitura e compreensão de adultos que não têm o inglês como primeira língua. A pesquisa analisou os dados de 910 000 pessoas que realizaram duas provas online de proficiência em 2014. No comparativo, o Brasil caiu três colocações desde a edição anterior, quando ficou em 38º lugar em um ranking de 60 países, com nota 49,96. De acordo com o relatório do EPI, as médias brasileiras demonstram a estagnação no ranking e no nível de inglês dos brasileiros.

Estados – Nos dados por Estados brasileiros, o Distrito Federal alcançou a primeira colocação com proficiência “moderada” (54,14), seguido por São Paulo (53,06), também com proficiência “moderada”. As últimas posições por Estado ficaram com Amazonas (46,76) e Roraima (47,16) com proficiência “muito baixa” (a categoria de proficiência “muito baixa” é abaixo dos 48 pontos).

De acordo com o relatório, programas governamentais de ensino de línguas podem ajudar os países a melhorar o nível de inglês. Na América Latina, projetos como o chileno “Inglês de Portas Abertas” ou o “Inglês Sem Fronteiras”, iniciativa do Ministério da Educação brasileiro, são promessas para fortalecer o ensino da língua estrangeira nas escolas públicas e oferecer a alunos e profissionais melhores oportunidades no mercado de trabalho.

Contudo, os projetos ainda não foram capazes de melhorar a proficiência no idioma estrangeiro entre os países da região. Segundo o levantamento, a Argentina foi o único país com proficiência “muito alta” (líder do ranking latino por dois anos seguidos). Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, Guatemala, México, Panamá, Peru e Uruguai apresentaram nível “baixo” e Colômbia, El Salvador e Venezuela apareceram nas últimas colocações, com proficiência “muito baixa”.

Mundo – O ranking mede os conhecimentos de países da Europa, Ásia, América Latina, Oriente Médio e Norte da África. Os locais com maior desenvoltura com a língua inglesa são a Suécia (70,94), Holanda (70,58) e Dinamarca (70,05). Ocupando os últimos lugares do ranking, apareceram Líbia (37,86), Camboja (39,15) e Arábia Saudita (39,93).

(Da redação)

Member of The Internet Defense League