Clique e assine com 88% de desconto

Intervenção de Bolsonaro faz ações da Petrobras cair mais de 8%

Estatal perde 32,4 bilhões de reais de seu valor de mercado; Ibovespa tem queda de 2%

Por Clara Valdiviezo - 12 abr 2019, 17h51

Após intervenção do presidente Jair Bolsonaro na política de preços de combustíveis da Petrobras, as ações da companhia despencaram mais de 8% nesta sexta-feira, 12, na bolsa de valores brasileira. Os papéis ON, que dão direito a voto (PETR3), tiveram queda de 8,76%, e os PN (PETR4), os mais negociados, de 8,36%.

A atitude do governo fez a Petrobras perder 32,4 bilhões de reais de seu valor de mercado. Na quinta-feira, após o fechamento do mercado, a estatal era avaliada em 393,9 bilhões de reais, e hoje esse valor caiu para 361,5 bilhões de reais, segundo a corretora de valores Mirae Asset.

“A ação do Bolsonaro foi um tiro no pé. Ele fez isso para tentar prevenir uma nova greve dos caminhoneiros, mas o mercado financeiro reagiu de forma muito negativa”, afirmou Daniela Casabona, sócia-diretora da FB Wealth.

Com isso, o Ibovespa, principal índice da bolsa, caiu 1,98% nesta sexta-feira, 12, para 92.872,00 pontos.

Continua após a publicidade

Na quinta-feira, 11, a Petrobras anunciou o aumento de 5,7% no preço diesel. Horas depois, a estatal divulgou nota voltando atrás com sua decisão, afirmando que “avaliou ao longo do dia, com o fechamento do mercado, que há margem para espaçar mais alguns dias o reajuste no diesel”.

O reajuste estabelecido na quinta-feira seria o maior desde que Bolsonaro assumiu o governo do país. O próprio presidente assumiu ter entrado em contato com o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, após o anúncio do reajuste.

O presidente defendeu desde o começo de sua campanha o livre comércio, mas sua decisão foi contrária surpreendendo os investidores, de acordo com Casabona. 

Publicidade