Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em dia de cautela, Bolsa e dólar fecham perto da estabilidade

Dólar terminou em baixa de 0,26%, após intervenção do Banco Central; no mercado de ações, Ibovespa terminou com recuo de 0,34%

Em sessão marcada pela cautela dos investidores, o dólar e a Bovespa fecharam com pouca variação. A moeda americana recuou 0,26%, para 3,60 reais, depois que o Banco Central (BC) vendeu apenas parcialmente a oferta de swaps cambiais reversos, que equivalem a compra futura de dólares, pelo segundo dia consecutivo. Operadores entenderam a manobra como sinal de que o BC reconhece que a tendência da moeda americana é de baixa e que pretende apenas suavizar esse movimento.

“A mensagem é clara: a pressão sobre o dólar é de queda e vai continuar sendo de queda”, disse o estrategista de câmbio e juros de um banco internacional com presença no Brasil.

Diante desse cenário, já há quem esteja refazendo suas contas para o dólar. O economista do banco Nomura Securities João Pedro Ribeiro cita como referência a faixa de entre 3,20 e 3,40 reais no fim do ano, com cenário-base de impeachment saindo do papel. Sua previsão anterior era de dólar a 4,20 reais.

Leia mais:

Brasil fecha 104,5 mil vagas de trabalho em fevereiro

Prejuízo da Petrobras é o segundo maior de uma companhia aberta em 30 anos

Bovespa – No mercado de ações, a Bovespa fechou com o seu principal índice em queda de 0,34%, a 50.996 pontos, segundo dados preliminares. O volume financeiro somava 6,1 bilhões de reais.

No cenário interno, a crise política segue pautando os negócios, com os investidores aguardando novos desdobramentos, ligados ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Já no cenário externo, atentados terroristas na Bélgica, que deixaram ao menos 30 mortos em Bruxelas, diminuíram o apetite por risco.

O Ibovespa foi pressionado pela queda das ações de bancos, enquanto os papéis da Petrobras subiram mesmo depois de a empresa anunciar, nesta segunda-feira, um prejuízo recorde em 2015, de 34,8 bilhões de reais. As ações ordinárias da estatal, com direito a voto, subiram 2,24%, enquanto as preferenciais, sem direito a voto, tiveram alta de 0,62%, com os investidores avaliando positivamente dados sobre o fluxo de caixa e o Ebtida.

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)

Member of The Internet Defense League