Clique e assine com 88% de desconto

Cade aprova compra da Embraer pela Boeing

Operação foi confirmada sem restrições. Autoridade europeia ainda precisa dar aval ao negócio

Por Agência O Globo - 27 jan 2020, 18h01

BRASÍLIA – O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta segunda-feira a compra de parte da Embraer pela Boeing. O negócio foi aprovado sem restrições pela Superintendência Geral do órgão, responsável por garantir que fusões desse tipo não resultem em monopólios.

Parceria:
Embraer estuda família de turboélices em parceria com Boeing

O acordo entra as duas fabricantes foi anunciado em julho de 2018, quando foi avaliado em cerca US$ 4 bilhões. A operação é formada por duas transações. Em uma delas, a Boeing comprou 80% do braço de aviação comercial da Embraer. Na segunda, as duas companhias formaram uma joint-venture para produzir uma aeronave militar. As duas foram aprovadas sem restrições.



Análise:
Por que a Embraer é tão importante para a Boeing?

O Cade entendeu que, em nenhum dos dois negócios, há risco à concorrência no setor. No segmento comercial, o conselho destacou que a Embraer tem baixa participação no segmento onde a Boeing atua, de aviões entre 100 e 200 assentos. Já na transação militar, a autarquia concluiu que as duas empresas não unirão seus portfólios, mas apenas trabalharão em um projeto comum.

Leia: Rio reduz ICMS sobre querosene de aviação a até 7% para atrair novas companhias e mais voos

A operação já foi aprovada por autoridades de defesa da concorrência dos EUA e da China. Na União Europeia, no entanto, ainda enfrenta resistência, já que as autoridades locais afirmam que não receberam informações suficientes das duas fabricantes.

Publicidade