Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil cai para a posição de 9ª economia do mundo

Tamanho do PIB do Brasil, em dólares, caiu 24,6% em 2015 ante 2014, fazendo o país cair duas posição no ranking de maiores economias do mundo

Em dólares, o tamanho da economia brasileira diminuiu em um quarto no ano passado e perdeu o posto de sétima maior do mundo. Dados do IBGE e do Fundo Monetário Internacional (FMI) mostram que o tamanho do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil caiu 24,6% na comparação com 2014 quando convertido para a moeda americana. Levando-se em conta as estimativas do Fundo para o valor do PIB de 189 países, o Brasil foi ultrapassado pela Índia e Itália e, agora, passa a ser a nona maior economia do mundo.

Levantamento feito pela Agência Estado mostra que, com essa referência, o tamanho da economia brasileira diminuiu mais de 500 bilhões de dólares em um ano, para 1,77 trilhão de dólares no ano passado a preços correntes.

A conversão do valor do PIB para dólares é uma das medidas mais comuns para comparar o tamanho das várias economias do planeta. Em 2014, segundo dados do FMI, o PIB brasileiro em dólares era o sétimo maior do mundo – atrás de Estados Unidos, China, Japão, Alemanha, Reino Unido e França, respectivamente. Com o número apresentado nesta manhã e confirmadas as previsões do Fundo para as demais economias, o Brasil cai duas posições na lista de 2015 ao ser ultrapassado por Índia e Itália.

A queda é explicada pela contração da atividade e também pela desvalorização do real – o que torna a riqueza produzida em reais menor quando transformada em dólares. A conversão foi feita com base no dólar médio do ano divulgado pelo Banco Central

Há apenas cinco anos, em 2011, o Brasil chegou a alcançar o posto de sexta maior economia do mundo ao deixar o Reino Unido para trás. O título foi festejado em Brasília em um período em que as economias ricas como a britânica ainda tentavam se desvencilhar do pior momento da crise global. Nesse período, o Brasil despertou a admiração mundial pelo sucesso na condução da economia, o que resultou em crescimento do PIB, valorização do real e ascensão social. O governo chegou a pregar que o país poderia ser a quinta economia do mundo em 2020.

Com os números atuais, a economia do Brasil precisaria crescer 62% em dólar para atingir o mesmo patamar da quinta maior economia do mundo. Em meio à avalanche de apostas de que a recessão continuará firme em 2016, o crescimento de mais de 50% para alcançar a promessa do governo é descartado até pelos analistas mais otimistas.

Leia mais:

‘Grande desafio do crescimento é recuperar demanda interna’, diz Fazenda

“Continuamos sem resposta para estancar a crise”, alerta economista

(Com Estadão Conteúdo)

Member of The Internet Defense League