Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

BR Distribuidora é alvo de gigantes nacionais e estrangeiras

Joia entre os ativos da Petrobras, empresa é líder em distribuição de combustíveis no país

Importantes ativos da Petrobras são alvo de conglomerados brasileiros e estrangeiros. O Ultra, dono da Ipiranga (rede de postos), Ultragaz (gás de cozinha), Ultracargo (logística), Extrafarma (farmácias) e Oxiteno (químicos), tem interesse por uma das joias da coroa da estatal, a BR Distribuidora, líder em distribuição de combustíveis no país. Esse mesmo ativo está na mira da canadense Brookfield, segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. A divisão de gás de cozinha da petroleira, a Liquigás, também tem sido cobiçada por concorrentes, incluindo Ultra e Copagaz.

Em entrevista, Thilo Mannhardt, presidente do grupo Ultra, afirmou que o conglomerado tem como estratégia expandir seus negócios organicamente, mas que a companhia não fecha os olhos para oportunidades que surjam e que façam sentido ao grupo. A empresa, segundo ele, tem como filosofia se manter em setores resilientes e fazer expansão em áreas que possam torná-la protagonista em segmentos nos quais já atua.

No ano passado, o presidente do conselho de administração do Ultra, Paulo Cunha, afirmou que teria interesse em parte da BR Distribuidora, desde que a companhia pudesse ser fatiada. E esse interesse permanece.

Inicialmente, a estratégia da Petrobras era abrir o capital da BR Distribuidora, mas os planos foram abortados por conta da situação ruim para o mercado de capitais. A estatal, então, cogitou encontrar um investidor minoritário. No caso da Liquigás, de botijão de gás, a petroleira não colocou oficialmente o ativo à venda, mas ele já tem atraído interessados.

Procurada pela reportagem, a Petrobras informou que a “carteira de desinvestimento é dinâmica e o desenvolvimento das transações dependerá das condições negociais e de mercado, podendo sofrer alterações em função do ambiente externo e da análise contínua dos negócios da companhia”. Ainda segundo a nota, a estatal informou que “fatos julgados relevantes sobre o tema serão divulgados ao mercado”.

Leia mais:

Prévia do PIB começa o ano em queda de 0,61%, diz BC

Mercado já prevê queda de 3,54% do PIB em 2016

(Com Estadão Conteúdo)

Member of The Internet Defense League