Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após disparar quase 5%, dólar perde força e termina o dia em alta de 0,63%

Moeda bateu em 3,6767 reais na máxima do dia e recuou para 3,5249 reais no fim da sessão

O dólar fechou em alta nesta segunda-feira, mas bem longe das máximas do dia, ao final de uma sessão marcada por turbulências no cenário político. Pela manhã, o presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), determinou a anulação da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff. À tarde, a decisão de Maranhão foi rejeitada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros. “Hoje tivemos um ensaio do que poderia acontecer se o impeachment não passar”, disse o superintendente de câmbio da corretora Correparti, Ricardo Gomes da Silva.

Maranhão invalidou as sessões em que os deputados autorizaram a abertura do processo de impeachment e solicitou ao Senado que devolvesse o caso à Câmara. Com isso, a moeda disparou e atingiu a máxima de 3,6767 reais, alta de quase 5%. À tarde, contudo, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ignorou o ato de Maranhão, que chamou de brincadeira, e deu sequência à tramitação do impeachment na Casa. A moeda perdeu força e terminou o dia em alta de 0,63%, a 3,5249 reais na venda.

Leia também:

Diamante é vendido por US$ 63 milhões, o maior preço já alcançado

Vendas do Dia das Mães têm o pior desempenho desde 2003, diz Serasa

O dólar já subia ante o real pela manhã, em linha com o cenário externo, após dados da China mostrarem que a exportações e importações do país caíram mais do que o esperado em abril, ressaltando a demanda fraca internamente e no exterior.

(Com agência Reuters)

Member of The Internet Defense League