Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

AES muda comando no Brasil, e Eletropaulo tem novo presidente

Empresa nega que troca na cúpula seja um passo para a venda de ativos no país; rumor fez com que suas ações subissem até 30%

A AES Tietê e a AES Eletropaulo informaram nesta quarta-feira que Britaldo Pedrosa Soares deixará o cargo de diretor-presidente das companhias para se tornar presidente do conselho de administração. Ítalo Tadeu de Carvalho Freitas Filho será indicado para assumir o cargo na AES Tietê e Chales Lenzi na AES Eletropaulo. As alterações passam a ser efetivas no dia 1º de abril de 2016.

Os novos executivos reportarão diretamente para o novo presidente da AES Brasil, Julian Nebreda, segundo fato relevante sobre a nova estrutura organizacional enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A holding é acionista controladora da Tietê e Eletropaulo e faz parte do grupo AES.

Segundo o documento, o novo presidente da holding conduziu recentemente a unidade estratégica de negócios da AES na Europa.

Chales Lenzi assume a presidência da Eletropaulo e também a diretoria executiva de operações (COO) da holding AES Brasil. Recentemente, Lenzi atuou como presidente-executivo da Associação Brasileira de Geração de Energia Limpa (Abragel).

Ítalo Freitas será o diretor-presidente da AES Tietê e da AES Uruguaiana, além de líder de negócios da AES Brasil. O executivo atuou recentemente como vice-presidente de operações da Tietê e Uruguaiana.

Sem venda de ativos – A AES Brasil, braço do grupo americano AES no Brasil, afirmou em nota que seus ativos no país “não estão à venda”, após o jornal Folha de S.Paulo publicar reportagem segundo a qual a troca no comando da holding anunciado nesta quarta-feira seria um passo para a empresa se desfazer dos negócios locais de distribuição e eventualmente em geração. Segundo a nota da AES Brasil, “o objetivo é crescer em geração, aprimorar a qualidade do serviço e recuperar o valor das distribuidoras”.

A empresa controla a geradora de energia AES Tietê, com 2,6 gigawatts em hidrelétricas, e a termelétrica Uruguaiana, além das distribuidoras de energia Eletropaulo e AES Sul, que atendem respectivamente São Paulo e Rio Grande do Sul.

As ações da Eletropaulo chegaram a subir quase 30%, mas reduziram ganhos posteriormente. Às 15h44, subiam 16,6%.

Leia também:

China e Índia devem dominar demanda por energia nas próximas décadas

(Da redação)

Member of The Internet Defense League