Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aeroporto de Congonhas terá concessão para exploração comercial

Parceiro privado ficará responsável por investimentos em serviços como áreas comerciais, centro de convenção e hotel

O modelo de concessão de áreas dos aeroportos da Infraero a parceiros privados para exploração comercial será repetido em uma nova área do Aeroporto de Congonhas, informou o ministro da Aviação, Guilherme Ramalho. O projeto está sendo finalizado e deverá incluir tanto áreas dentro do terminal de passageiros quanto do lado de fora, no estacionamento.

A perspectiva é lançar o edital no segundo semestre, após as concessões dos aeroportos de Salvador, Fortaleza, Florianópolis e Porto Alegre. A Infraero vai buscar um parceiro privado para investimentos em serviços como áreas comerciais, centro de convenção e hotel.

O modelo foi adotado recentemente em outros aeroportos operados pela Infraero, como Goiânia e Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Nesta terça, o ministro entregou oficialmente obras do novo pátio do Santos Dumont e visitou a nova área comercial e o hotel aberto no aeroporto carioca.

Ao todo, o Bossa Nova Mall tem 35 lojas – incluindo restaurantes – das quais doze já ocupadas por marcas como Forever 21 e Osklen. O contrato comercial de 25 anos foi assinado com a rede hoteleira GJP e o Grupo Saphyr. Um segundo piso, com área de 9.000 metros quadrados e espaço para dezesseis novas lojas, acaba de ficar pronto e também será negociado pela Infraero.

Leia também:

Irã encomenda 50 aviões da Embraer

Demanda por voos cai 4% em janeiro no país

Além de ser responsável pelos investimentos em expansão, o parceiro comercial paga um valor mensal à Infraero com uma parcela fixa e uma variável, em função de sua receita. Essa é uma das opções que vêm sendo adotadas pelo governo para elevar a receita da Infraero, que enfrenta uma situação financeira difícil.

Demissões voluntárias – O presidente da Infraero, Gustavo do Vale, confirmou que a estatal realizará neste ano seu Programa de Demissão Voluntária (PDV), que acabou com orçamento de 500 milhões de reais. De acordo com o executivo, 2.300 funcionários já optaram pelo plano, mas ele pode crescer. “Hoje a Infraero tem 3.000 funcionários além do que precisa”, afirmou durante a visita ao Aeroporto Santos Dumont. A empresa tem um quadro total de 12.000 pessoas.

Além do PDV, a Infraero adotará outras medidas de reestruturação em 2016. Segundo Vale, a Força Aérea já acertou o ressarcimento à estatal dos serviços de navegação aérea prestados, o que deve significar uma receita de 250 milhões de reais por ano.

(Com Estadão Conteúdo)

Member of The Internet Defense League