Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Administradoras de shoppings têm menor lucro em sete anos

Em 2015, as seis principais companhias do ramo tiveram lucro líquido de 246,51 milhões de reais, o menor desde 2009, segundo a consultoria Economatica

A fraqueza da atividade econômica tem penalizado as empresas do setor de administração de shopping centers. Em 2015, as seis principais companhias do ramo tiveram lucro líquido somado de 246,51 milhões de reais, o menor em pelo menos sete anos, segundo dados divulgados pela consultoria Economatica nesta segunda-feira. O resultado representa um recuo de 76% em comparação com o desempenho visto em 2014.

Entre as empresas, a Multiplan é a que teve o maior lucro líquido no ano passado, de 362,18 milhões de reais. Já o menor lucro líquido foi registrado pela BRMalls, com 4,84 milhões de reais. Das seis empresas analisadas – na lista estão ainda Iguatemi, Aliansce e JHSF -, somente uma, a Generalshopp, teve prejuízo em 2015. A perda da empresa, de 551,9 milhões de reais, puxou para baixo o resultado conjunto das seis companhias avaliadas.

Apesar de o lucro estar diminuindo, a receita continua em alta. Em 2015, o conjunto de empresas analisadas teve crescimento de 2,55% em vendas, para 4,45 bilhões de reais. Desde 2009, o setor cresceu 138,16%. Em 2009, as empresas tinham 1,87 bilhões de reais de receitas; no ano passado, o número foi de 4,45 bilhões de reais.

Já o endividamento das companhias teve leve recuo, de 0,61%, entre 2014 e 2015, para 14 bilhões de reais. No entanto, considerando o intervalo entre 2009 e 2015, houve alta de 437,5%. A BR Malls é a empresa com maior estoque de dívida do setor, com 5,49 bilhões de reais, seguida pela Multiplan, com 2,17 bilhões de reais, e Iguatemi, com 2 bilhões de reais.

A Economatica consolidou o desempenho de seis empresas do setor de administração de shopping centers de 2009 até 2015. Todas as análises foram elaboradas com base nos demonstrativos financeiros apresentados pelas empresas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Leia mais:

Alta do IOF não tem relação com reajuste do Bolsa Família, diz Receita

Comprar dólar em espécie fica mais caro a partir desta terça-feira

(Da redação)

Member of The Internet Defense League