Clique e assine com 88% de desconto

Gilmar Mendes não vê tentativa de obstrução da Lava Jato em declarações de Jucá

Segundo o magistrado, tentar provar prestígio no Supremo virou "mantra" entre os investigados e o STF tem agido com imparcialidade com relação à operação

Por Da Redação - 24 maio 2016, 19h57

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse nesta terça-feira que não considera as declarações do ex-ministro do Planejamento Romero Jucá, divulgadas ontem pelo jornal Folha de S.Paulo, uma tentativa de obstrução da Operação Lava Jato. Nas gravações obtidas pelo jornal, em conversa com ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, Jucá sugere um “pacto” para tentar barrar a operação, que incluiria o Supremo. Por causa das declarações, Jucá pediu para ser exonerado.

“Não vi isso. A não ser, uma certa impropriedade em relação à referência ao Supremo. Sempre vem essa história: ‘já falei com os juízes’ ou coisa do tipo. Mas é uma conversa entre pessoas que têm alguma convivência e estão fazendo análise sobre o cenário numa posição não muito confortável”, disse Gilmar Mendes, em referência ao trecho em que Jucá cita o STF na conversa.

LEIA TAMBÉM:

Senador pede ao Conselho de Ética cassação de Romero Jucá

Continua após a publicidade

Padilha espera que Jucá ainda volte ao Planejamento: “É um grande player”

“A não ser essa referência [sobre o STF], que causa incômodo, é uma repetição. Virou um mantra, um enredo que se repete”, acrescentou o ministro, em entrevista no STF. Mendes disse que nunca foi procurado por Jucá para falar sobre a Lava Jato.

Para o ministro, o STF tem agido com imparcialidade com relação à operação. “Não há o que suspeitar do Tribunal, o Tribunal tem agido com muita tranquilidade, com muita seriedade, muita imparcialidade, a mim me parece que não há nada para mudar o curso [da Lava Jato].”

Perguntado se a saída de Jucá abala o governo interino que acabou de começar, Mendes disse que a mudança “faz parte da realidade política”.

Continua após a publicidade

“São problemas da realidade política, com os quais se tem que lidar. Quer dizer, eu tenho essa experiência também, passei por governo. Quer dizer, da noite para o dia, às vezes por uma fala, por uma revelação, se encerra um mandato às vezes até exitoso. Em suma, isso faz parte da realidade política”.

(Com Agência Brasil)

Publicidade