Clique e assine com 88% de desconto

Fortes chuvas deixam mais de 10 mil pessoas desalojadas nas regiões Norte e Noroeste do Rio

Três municípios decretaram situação de emergência neste domingo; 818 pessoas estão desabrigadas

Por Agência O Globo - 27 jan 2020, 14h01

RIO — Ao menos 11.619 pessoas estão desalojadas após as fortes chuvas que atingiram as regiões Norte e Noroeste do Rio de Janeiro desde o fim de semana. Até o momento, 818 pessoas estão desabrigadas e há uma morte confirmada. As ococrrências estão concentradas em pelo menos 14 cidades. São elas: Varresai, São João da Barra, Bom Jesus do Itabapoana , Cardoso Moreira, Cambuci, Campos dos Goytacases, Italva, Aperibé, Laje do Muriaé, São José de Ubá, Natividade, Porciúncula, Itaperuna e São Francisco do Itabapoana.

Segundo a Defesa Civil, houve transbordamentos nos rios Pomba, Muriaé, Carangola, Itabapoana e Paraíba do Sul. No início da tarde desta segunda-feira,  o único que ainda apresentava um aumento no nível de água era o Paraíba do Sul.

Itaperuna é o município que concentra o maior número vítimas da chuva. Segundo a Prefeitura, há 3.570 pessoas desalojadas e outras 75 desabrigadas. Ao todo, 15.800 pessoas foram afetadas. A Prefeitura também decretou situação de emergência no domingo e interditou por tempo indeterminado a Avenida Cardoso Moreira, principal via da cidade. Itaperuna é a cidade que concentra a primeira morte decorre das enchentes. O músico Anderson Titolei, encontrado morto na tarde deste sábado, foi sepultado no domingo no cemitério municipal.

O municícpio de Porciúcula teve 85% do seu território alagado, segundo a Prefeitura, que também decretou situação de emergência no domingo. Há 3500 pessoas desalojadas e 138 desabrigadas que estão sendo atendidas em três abrigos montados nas escolas José de Lannes, Orlinda Veiga e no Centro de Comercialização do Parque de Exposições. O nível do rio Carangola atingindo 8,22 metros na madrugada de sábado, três metros a mais do que a altura de transbordo.

Continua após a publicidade

Laje do Muriaé contabiliza 2 mil desalojados e 60 desabrigados. A Prefetura continua em alerta para ocorrências de deslizamentos em áreas de risco e abriga as famílias afetadas no jardim de infância que fica próximo a escola Ary Parreiras. O trabalho de limpeza da cidade começou no início da tarde desta segunda-feira.

Bom Jesus do Itabapoana também determinou situação de emergência. Até o momento, há 1100 desalojados e 275 desabrigados na cidade. A administração municipal ainda determinou ponto facultado nesta segunda e também na terça-feira, suspendendo atividades de repartições públicas. Segundo a Prefeitura, houve deslizamentos de terra que atingiram rodovias, estradas e moradias.

Outro desafio enfrentado pela população Bojuense é o abastecimento de água, que está interrompido desde sexta-feira. Nesta segunda, a previsão é de que 100 mil litros sejam distribuídos para os moradores. A Clínica da Família da cidade também suspendeu os atendimentos, já que o transbordo do Rio Itabapoana impossibilitou o acesso à unidade.

Publicidade