Carrie Fisher

E 2016, que começou com o baque da morte de David Bowie, continua passando a foice até os seus últimos dias: dois dias depois de George Michael, agora se vai Carrie Fisher, também ela muito prematuramente, aos 60, depois de sofrer uma parada cardíaca durante um voo. O universo Star Wars está em choque com a perda de Leia Organa. E eu lamento também a atriz que era magistral como nenhuma outra em pequenas e desconcertantes participações em filmes como Harry & Sally, Hannah e Suas Irmãs, Austin Powers, Escritor Fantasma e tantos outros. O último papel em que a vi foi na (brilhante) série Catastrophe. Carrie matava a pau como a mãe do protagonista, um limão azedo que ninguém, a começar pelo filho, conseguia engolir. Mordaz, inteligente, inquieta e complicada, Carrie vai fazer falta. Safe journeys, Leia.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s